RSS

Arquivo mensal: novembro 2013

A música entre o céu e a terra.


Desde ontem a música tem-me assaltado a alma, burilando minhas emoções…

Parei para pensar em meus ídolos assistindo o DVD de um de meus ídolos.

Eram 12… hoje seis brincam nos céus de fazer música, voláteis como as nuvens passeiam na harmonia da

s galáxias e nas nuances das explosões  das estrelas…

Que saudades de “sangrar” com Gonzaguinha, de me sentir como sua quando Vinicius compunha “Minha namorada”, de ser a “Luiza” do Jobim, de acreditar no “hoje”  Taiguara, de sentir que todos os dias são “Dias de lua” com Emilio de chorar “Atrás da porta” com Elis…

Que saudades de meus ídolos…

no céu

 

Hoje entrego-me a ao “Agarradinho de Menescal e Leila Pinheiro”, e pouso meus

olhos nas “Cordilheiras” com Djavan, escrevo um “Bilhete” para Ivan Lins, sinto-me uma “tatuagem” com Chico Buarque e me entrego num sorriso de “Monaliza” com Jorge Vercilio…

Agradeço a Deus por ter-me permitido viver na terra o céu com aqueles que Ele levou, e de conviver com o céu  que Ele deixou na Terra…

meus idolos na Terra

meus idolos na Terra

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 30 de novembro de 2013 em MEUS ESCRITOS

 

Tags: ,

PALAVRAS EM CRISE


ESTOU EM CRISE

Estou em crise…

Não estou me entendendo com as palavras,

Total   “desintonia” com meu verbo…

 

Meus versos dispersos,

Motinam-se nas estrofes.

E minha revolta regorgita nas letras do teclado

A decepção causada pela admiração unilateral

Pelo companheirismo singular

Em palavras que não dizem nome de ninguém

Não delatam ,

Não dizem pra quem é

… dizendo pra quem sabe.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 30 de novembro de 2013 em MEUS ESCRITOS

 

Tags: ,

Vídeo

Violência contra a mulher


Esse arquivo foi feito pela minha filha Leatrice Castro, como trabalho acadêmico do curso de Serviço Social.
Ficou tão bom que coloco aqui para nossa reflexão.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 25 de novembro de 2013 em TEXTOS QUE EU GOSTARIA TER ESCRITO

 

Tags:

No colo do Budismo.


Imagem

Hoje estou me sentindo dividida, um sofrimento que ja deveria ter passado a mais de 13 anos voltou a me atormentar.  Conversei com um amigo querido ( Budista) sobre o que se passava comigo.

No inicio foi estranho, ele ouvia minhas mágoas de forma estranha… confesso que por mais de uma vez pensei em silenciar, mas quando ele falou, quando se posicionou disse-me da maneira sobre como eu estava agindo comigo mesma, e não sobre o problema que me afligia ( ainda me aflige). No fundo foi proveitosa a nossa conversa.

Quis saber mais sobre o ponto de vista dele. A mesma paisagem pode apresentar-se de forma diferente se vista de outra janela ( já dizia minha avó Lucinda)…

Fui buscar sobre a fé que ele professa,

Confesso que tinha uma noção da filosofia budista, mas precisava me aprofundar.

Decidi : Vou ler mais sobre o assunto. Mas confesso que o que já li, foi-me agradável ao espirito.
O Budismo se pauta sobre Quatro Nobres Verdades da vida 

1. A Verdade do Sofrimento.: A vida está sujeita a todos os tipos de sofrimento, sendo os mais básicos  nascimento, envelhecimento, doença e morte. Ninguém está isento deles.

2. A Verdade da Causa do Sofrimento.: A ignorância leva ao desejo e à ganância, que, inevitavelmente, resultam em sofrimento. A ganância produz renascimento, acompanhado de apego passional durante a vida, e é a ganância por prazer, fama ou posses materiais que causam grande insatisfação com a vida.

3. A Verdade da Cessação do Sofrimento.: A cessação
do sofrimento advém da eliminação total da ignorância e do desapego à ganância e aos desejos, alcançando um estado de suprema bem-aventurança ou nirvana, onde todos os sofrimentos são extintos.

4. O Caminho que leva à Cessação do Sofrimento.: Por
não podermos nos abster destas verdades, devemos aceitá-las
compreendendo que são fatores integrantes da vida. Para erradicar a ignorância – que é a fonte de todo sofrimento – é necessário entender as quatro nobres verdades, seguindo o caminho que leva à cessação do sofrimento, conhecido como o Nobre Caminho Óctuplo.

O Nobre Caminho Óctuplo consiste de:

1.   Compreensão Correta. Conhecer as Quatro Nobres Verdades de maneira a entender as coisas como elas realmente são.

2.   Pensamento Correto. Desenvolver as nobres qualidades da bondade amorosa e da aversão a prejudicar os outros.

3.   Palavra Correta. Abster-se de mentir, falar em vão, usar palavras ásperas ou caluniosas.

4.   Ação Correta. Abster-se de matar, roubar e ter conduta sexual indevida.

5.   Meio de Vida Correto. Evitar qualquer ocupação que prejudique os demais, tais como tráfico de drogas ou matança de animais.

6.   Esforço Correto. Praticar autodisciplina para obter o controle da mente, de maneira a evitar estados de mente maléficos e desenvolver estados de mente sãos. Plena Atenção Correta. Desenvolver completa consciência de todas as ações do corpo, fala e mente para evitar atos insanos.

7.   Concentração Correta. Obter serenidade mental e sabedoria para compreender o significado integral das Quatro Nobres Verdades.

De repente me vi concordando com muitas posições. De repente me vi encontrando sentido nelas. De repente me vi identificando em meu espirito a presença de um buda… Teria eu um lado budístico sem saber tê-lo?

 
Deixe um comentário

Publicado por em 24 de novembro de 2013 em MEUS ESCRITOS

 

Tags:

Um convite à reflexão


preciosa

Numa experiência científica um grupo de cientistas, colocou cinco macacos numa jaula. No meio uma escada e sobre ela um cacho de bananas. Quando um macaco subia na escada para pegar as bananas, os cientistas jogavam um jato de água fria nos que estavam no chão.Depois de certo tempo, quando um macaco ia subir a escada, os outros o pegavam e batiam muito nele. Com mais algum tempo, nenhum macaco subia mais a escada, apesar da tentação das bananas. Então os cientistas substituíram um dos macacos por um novo. A primeira coisa que ele fez foi subir a escada, dela sendo retirado pelos outros que o surraram. Depois de algumas surras, o novo integrante do grupo não mais subia a escada.Um segundo foi substituído e o mesmo ocorreu, tendo o primeiro substituto participado com entusiasmo da surra ao novato. Um terceiro foi trocado e o mesmo ocorreu. Um quarto e, afinal, o último dos veteranos foi substituído.

Os cientistas então ficaram com o grupo de cinco macacos que, mesmo nunca tendo tomado um banho frio, continuavam batendo naquele que tentasse pegar as bananas.

Se fosse possível perguntar a algum deles porque eles batiam em quem tentasse subir a escada, com certeza a resposta seria: “Não sei, mas as coisas sempre foram assim por aqui”.
Albert Einstein dizia: “É mais fácil desintegrar um átomo que um preconceito”.

….. E ai eu te pergunto:
__ Quantas vezes você quis tomar uma atitude mas não tomou porque “alguem” em “algum momento de sua vida” lhe disse que sempre foi de “outro jeito” e você acabou optando pelo “outro jeito”? De onde vem o seu preconceito? Baseado em que? Tem fundamento? No que as atitudes de outras pessoas, a cor, o credo, a aparencia física, etc. vai interferir na sua a ponto de te prejudicar…. Já pensou nisso?

 obs: desconheço a autoria da historia que gerou o convite que fiz a você.
 
Deixe um comentário

Publicado por em 24 de novembro de 2013 em MEUS ESCRITOS

 

Tags:

MINHA ALMA É EUROPEIA


minha alma é europeia

Acabei de assistir o filme CARTAS PARA JULIETA, ( o melhor filme que assisti nos últimos 15 anos de minha vida), alem de ser uma linda e comovente história de amor, no meio do filme me peguei chorando copiosamente ( de soluçar mesmo) de saudade…
Sim … SAUDADE!

Saudade das ruas e casas de tijolo exposto, de casarões de campos lindos, cultivados com uvas, de estradas a perder de vista, rodeada de árvores, do clima frio e úmido que pude sentir em minha pele; da brisa que pude sentir no meu rosto, do cheiro da terra que pude senti; da visão que tive quando tirei os olhos da TV e postei na parede branca de meu quarto e ali vi ruelas, gente rindo, sentadas em mesinhas vermelhas em calçadas, tomando vinho, comendo massas…

Saudade do sotaque, saudades do som de flautas, acordeão e vilão juntos.
Senti saudades das fisionomias tão conhecidas ( embora sem nunca terem sido vistas)..
Saudades do sabor que me veio na lembrança e que alagoou meu paladar e fez de meus lábios uma cascata de desejo…

Pude ouvir som de bicicletas, sininhos, tropé de cavalos, som de carruagens…
Não tenho dúvidas, eu conheço todos esses lugares.
Já estive lá…

Sinto saudades de lá…
Espero voltar pra lá embora tenha consciência (nesta vida) de nunca lá ter estado.

NESSE ENDEREÇO VOCÊ PODE ASSISTIR AO FILME EM SEU COMPUTADOR.

PREPARE-SE… VOCÊ VAI SE EMOCIONAR.

http://www.filmesonlinegratis.net/?s=CARTAS+PARA+JULIETA&s-btn=Buscar

 
Deixe um comentário

Publicado por em 10 de novembro de 2013 em MEUS ESCRITOS

 

Tags:

Politicamente falando…


Paulo Duarte

O radialista Joel de Souza postou essa foto do prefeito Paulo Duarte numa rede social e fez a pergunta: No que ele estaria pensando?

Foram muitas as respostas, umas com ironia, outras com sabedoria, outras com uma dose generosa de maledicência…

A minha resposta ao questionamento do Joel foi:

__  Ele deve estar pensando: OBRIGADA SENHOR PELA TERRA EM QUE NASCI. OBRIGADA POR ME PERMITIR PERDOAR OS INCAUTOS, OS MAQUIAVELICOS, OS DESINFORMADOS, OS QUE ARROTAM ANTES DE COMER… OBRIGADA SENHOR POR ME PERMITIR NÃO DESISTIR DE MEUS PROPÓSITOS, DE MEUS SONHOS. OBRIGADO POR ME PERMITIR NÃO LEVAR EM CONSIDERAÇÃO AQUELES QUE SÓ CONSEGUEM VER OS ERROS DOS OUTROS E SE ALIMENTAM DISSO… OBRIGADO PELOS AMIGOS QUE O SENHOR ME DEU… OBRIGADO PELOS INIMIGOS TAMBEM AFINAL ELES ALIMENTAM MINHA NECESSIDADE DE PROVAR QUE ESTÃO ERRADOS E ASSIM ME IMPULSIONAM PARA O ALTO E PARA FRENTE SEMPRE.

Eu sei que tem gente que acha que eu falo demais (e eu tenho consciência disso) assim como tenho consciência que minha avó (dona Lucinda) foi uma das mulheres mais sábias que conheci. Ela dizia, “tem quem vende porque tem quem compra; tem quem fala, porque tem quem escuta; tem quem escreve, porque tem quem lê” então eu escrevo e falo a minha opinião, porque eu sei que tem quem ouve e quem lê…rs…

Fico olhando os noticiários, os desacordos , as desavenças, as vergonhas nacionais. Falo e repito: NÃO SOU DE PARTIDO NENHUM! Se entendo como certo, aplaudo e defendo! Se entendo como errado, critico e sugiro mudanças!

Perguntam-me se sou do Partido do Prefeito Paulo Duarte.

_ Não, não sou! Mas ele É o meu prefeito. Votei nele, acredito nele, confio nele. E farei o que puder para ajuda-lo a fazer um governo exemplar na minha cidade.

Perguntam-me se votei no governador Puccinelli:

_ Não, não votei! Mas ele É o  meu governador e eu farei o que puder para ajuda-lo a fazer um governo exemplar para o meu Estado.

Perguntam-me se votei na presidente Dilma:

_ Não, não votei! Mas ela é a minha presidente e eu farei o que puder para ajuda-la a fazer um governo exemplar para o meu país.

E entendo isso como lucidez, como coerência, como o certo a ser feito.

Não entendo as pessoas que entendem fazer política apontando erros e falando deles como se esses fossem a única coisa a ser percebida numa gestão. Eu entendo fazer política como apontar os erros (sim) mas sugerir soluções, unir, compartilhar, fazer-se parceiro na busca de resolução de impasses.

Fico pensando, com os meus botões… Eu até tentei entrar no mundo da política, tentei três vezes, mas hoje vejo que não ia dar certo… Eu não teria estomago para conviver com tanta “artimanha”, com tanta “teia” (tenho pavor de aranha), com tanto azedume…

Olho o meu prefeito e me lembro do primeiro texto para reflexão que li quando adentrei na universidade para  tornar-me uma educadora:

“Era uma vez um homem que vivia à beira de uma estrada, onde vendia cachorro-quente. Ele não ouvia bem, por isso não tinha rádio. Tinha problemas de visão, por isso não lia jornais.

Mas ele vendia cachorro-quente. Colocava cartazes na estrada, fazendo propaganda da qualidade de seu produto. Ficava na beira da estrada e oferecia o seu produto em alta voz, e o povo comprava.

Lentamente foi aumentando as vendas e cada vez mais aumentava a compra de salsicha e de pão. Comprou um fogão industrial para melhor atender os fregueses. O negócio prosperava: o homem conseguiu até mesmo enviar seu filho para estudar na capital.

Certo dia, o filho, já formado, retornou para cuidar do pai e viu que as coisas não mudavam naquele lugar. Em casa, chegou logo dizendo ao pai: Você não ouve rádio! Nem lê jornais! Há uma crise no mundo. A situação na Europa é terrível e a do Brasil ainda pior. Tudo está indo para o vinagre.

O pai logo pôs-se a refletir: “Meu filho estudou, lê jornais, ouve rádio e só pode estar com a razão.” Então resolveu reduzir as compras de salsicha e de pão. Tirou os cartazes de propaganda e já não anunciava tão alto seu cachorro-quente, abatido que estava pela notícia da crise. As vendas foram caindo, caindo, caindo…

Então o pai finalmente disse ao filho:

– Você estava certo, meu filho. Nós certamente estamos vivendo uma grande crise.”

O povo brasileiro hoje está assim… Ele acredita no que lê, no que falam, mas não no que VÊ. E quando eu defendo o que de bom tem sido feito em minha cidade pelo meu PREFEITO PERFEITO (tem gente que odeia que fale assim e eu vou continuar falando) encontro quem concorde comigo, e aqueles que acostumados a se alimentarem do fel da maledicência se irritam e me deixam extremamente preocupada, a ponto de continuar colocando cartazes na estrada desses dias de governo, fazendo propaganda da qualidade de seu  produto ( o que já foi feito e o que ele ainda pretende fazer).; continuo ficando na beira da estrada e oferecendo aos que ainda estão nas sombras da “crise” o meu produto (consciência tranquila) em alta voz, e o povo comprando (ao me ler e ao me ouvir).

Isso Meu PREFEITO PERFEITO!!!!!!!!!!!!!!!

PLAFT…PLAFT…PLAFT…( aplaudindo)

 
4 Comentários

Publicado por em 8 de novembro de 2013 em MEUS ESCRITOS

 

Tags:

 
%d blogueiros gostam disto: