RSS

Arquivo mensal: dezembro 2015

Tempo de amadurecer…


tumblr_nvs1ntGOkg1qif1wro1_500

Passar a vida em “verde” ou “de-vez” pode ser mais facil mas com certeza nunca será mais saboroso.
A maturidade nos reserva o que de melhor podemos dar para as pessoas.
As pessoas que nos cercam quando tratadas de forma “madura” tornam-se mais acessíveis, mais humanas…
Eu “espero” o tempo das pessoas… O problema é que as vezes o Tempo de amadurecer passa… e a colheita perde o sentido.

(Marluci Brasil)

#respeiteoddireitosautorais

 
Deixe um comentário

Publicado por em 19 de dezembro de 2015 em MEUS ESCRITOS, MEUS PENSAMENTOS

 

Tags:

Honrar Pai e Mãe…


coracao_apertado

Hoje estudando o Evangelho Segundo o Espiritismo , abri aleatoriamente no capitulo 14 que trata sobre o assunto Honrar Pai e Mãe.
Allan Kardec nos esclarece: “O mandamento: “Honra a teu pai e a tua mãe”, é uma consequência da LEI GERAL DA CARIDADE E DO AMOR AO PRÓXIMO, porque não se pode amar ao próximo sem amar aos pais” .
Podemos dizer que se os estranhos, amigos e conhecidos são O NOSSO PRÓXIMO os pais e parentes que nos compartilham o lar são em verdade O PROXIMO MAIS PRÓXIMO pois foram por DEUS situados ao lado dos nossos corações. Se DEUS nos escolheu para sermos filhos exatamente desses pais, significa que temos deveres recíprocos uns para com os outros no campo do espírito.
Kardec esclarece porém outros aspectos do mandamento HONRAR PAI E MÃE: “…mas o imperativo HONRA implica um dever a mais para com eles: o da PIEDADE FILIAL. Deus quis demonstrar, assim, que ao amor é necessário juntar o respeito, a estima, a obediência e a condescendência…” E essa questão da Piedade Filial me manteve cativa por horas na leitura do mesmo trecho de estudo…
Kardec orienta que para honrar não basta amar é preciso ainda mais que o próprio amor natural de filho… Precisamos agregar o respeito profundo, aqueles que foram o nosso passaporte para a vida e que delas são aprendizes tambem.
Não basta aquele amor de filho e filha que tem natural reverência aos que lhe colocaram no mundo; ensina Kardec que temos “a obrigação de cumprir para com eles, de maneira mais rigorosa, tudo o que a caridade determina em relação ao próximo”.
Nesse ponto de meu estudo senti vergonha de mim mesma… Pude rever quantas vezes eu apertei o coração de meus pais com frases e atitudes que me faziam mal também mas que eu em meio à NECESSIDADE DE ME SENTIR CHEIA DE RAZÃO punia mais a mim do que a eles…
Mamãe e papai aguardavam pacientemente a minha “vergonha na cara” falar mais alto e eu voltava disfarçando, ainda “falando grosso” com uma autoridade que na verdade eu não tinha nem com eles nem diante das situações que criei… Mas eles ficavam lá, esperando a peneira do tempo separar o correto do errado e eu , nua de razões tomar a atitude certa…
Quando casei, errei por muitas vezes duplamente com meus pais. Errei quando errei comigo mesma, e errei quando errei com erros que não eram , mas que eu TINHA que que me manter na posição de ofendida…
Quantas vezes vi o olhar opaco de meu pai olhando o meu olhar atrevido… Parecia que ele me dizia: EU ESPERO…EU ESPERO…
Quantas vezes vi os olhos de minha mãe mareados, seu queixo trêmulo e simulei não ter percebido aquelas reações…
Quantas vezes errei, meu Deus!!!!
Uma vez minha avó me disse:
__ Marluci, a única relação que é para sempre é a de pai, mãe e filho.
Olho minha vida, os passos que dei, as decisões que tomei, as besteiras que fiz e vejo que ela tinha razão. As únicas pessoas que sei, que tenho certeza, que dariam a vida por mim, eu muitas vezes abandonei em vida, ainda que por breves momentos.
Talvez seja as festividades familiares de final de ano que me acometem de forma tão sofrida à constatação dos erros que já cometi…
Hoje, olho para meus filhos opacamente e…espero.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 14 de dezembro de 2015 em MEUS ESCRITOS

 

Tags:

A ponte…


Sem título

Perdi a conta de quantas vezes eu fui a ponte entre as situações…
Perdi a conta de quantas vezes fui usada como tal…
Perdi a conta de quantas vezes fui ignorada pelo caminho, sendo refletida pela agua corrente ou parada sob mim
Perdi a conta de quantas vezes a nevoa do esquecimento me escondeu dda lembrança de muitos que me usaram…

(texto de Marluci Brasil)

 
Deixe um comentário

Publicado por em 14 de dezembro de 2015 em MEUS ESCRITOS, MEUS PENSAMENTOS

 

RAZÃO & NECESSIDADE

RAZÃO & NECESSIDADE

conselhos-de-vovo-lucinda

Hoje acordei de madrugada. Tinha sonhado com minha avó Lucinda.
Estávamos sentadas naquele banco de madeira. Eu falava…falava…falava…chorava…falava… e ela apenas me ouvia…
De repente a audição esteve presente em meu sonho…. De repente eu pude ouvir. Não me ouvi, nem sei o que eu reclamei tanto para ela, mas pude ouvir o que ela me disse.
__ Marluci, você é espirita né? Então vou te contar uma história de sua fé. Chico Xavier estava sentado no início dos trabalhos que ele realizava e chegou uma mulher e assim, do nada deu um tapa na cara do médium e ainda falou “Eu quero um passe dado por você viu, seu cachorro? ” Ele olhou assustado para sua agressora e pensou com ele mesmo: “Como posso aplicar um passe de amor numa pessoa que acabou de me agredir? ” Nesse momento ele viu Emmanuel ao seu lado que olhou para ele e disse: “Você tem a razão. Ela tem a necessidade. Atenda a necessidade dela”.
Acordei com os olhos pregados no teto, e chorei deitada na cama. Sim, eu sei que eu tenho a razão no que me aflige, mas não sou Cristo para dar a outra face, não sou Chico para aplicar o “passe”…
E os pensamentos começaram a duelar em minha mente.
BOM SENSO: Se você é espirita realmente, você tem que tentar ser pelo menos parecida com o líder de sua fé e com o Senhor de sua fé.
RAZÃO: Mas se eu ceder sempre não estarei ajudando quem me agride a crescer. A entender, a não mais agredir a mão estendida em sua direção.
Minha alma em estado de fotografia, tentou encontrar o rosto de Vovó Lucinda no teto de meu quarto. Não a vi, mas ouvi em alto e bom som, na solidão de meu quarto a voz de minha avó: VOCÊ TEM A RAZÃO. ELA TEM A NECESSIDADE.
Aguardei a finalização…, mas ela ficou suspensa no ar. vovó não concluiu… e eu entendi que essa seria uma decisão unicamente MINHA.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 9 de dezembro de 2015 em MEUS ESCRITOS

 

Tags: ,

 
%d blogueiros gostam disto: