RSS

Arquivo da tag: LIÇÕES DE MINHA AVÓ

ALMAS GÊMEAS e PARCEIROS DE VIDA.


Nem todos os relacionamentos e amizades devem durar. Tanto quanto você pode gostar de alguém – tanto quanto você pode aprender sobre a vida através deles, a verdade é que algumas pessoas são parceiros de vida, enquanto outras são meramente alma-gêmea de sua alma…

Hã? Eles não são o mesmo? Não, é claro que não. Quando penso no assunto consigo identificar 4 principais diferenças entre os dois termos : “PARCEIROS DE VIDA”  e “ALMA GÊMEA”. E só me dei conta desta diferença quando entendi que para eu me sentir completa eu precisava encontrar meu PARCEIRO DE VIDA, porque ALMAS GÊMEAS a vida se encarregaria de me entregar de tempos em tempos…  Eu sei que soa estranho o que estou falando, que deveria ser ao contrário, mas eu realmente penso assim.

Comentei isso com uma amiga num bate-papo num de meus passeios pela net.

_E quais são essas 4 diferenças? _ Perguntou-me a minha companheira de ”navegação internética”

_ A primeira diferença está ligada ao OBJETIVO (o seu e ao da pessoa). Quando uma alma gêmea entra em sua vida, ela parece conhecê-la exatamente no nível que você precisa. Vocês aprendem lições juntas, lições que vai ajuda-los a superar esse estágio de sua vida.

Mas então, as coisas mudam e vocês se vêem obrigados a tomar diferentes caminhos.

Pode ser doloroso, mas tenha a certeza; Um dia você encontrará um verdadeiro parceiro de vida – alguém que compartilha seus objetivos. Um parceiro de vida não está apenas lá para guiá-lo através de uma fase da vida. Eles estão lá para guiá-lo em todas as etapas no futuro.

_ E a segunda?

_ A segunda tem a ver com a ATRAÇÃO. O que primeiro atrai você para sua alma gêmea é como vocês dois são iguais. Você completa suas frases com facilidade, e eles fazem o mesmo por você. Você sabe exatamente como eles se sentiriam se você fizesse ‘x, y ou z’ porque é exatamente como você se sentiria também.

Mas uma alma gêmea também compartilha suas falhas. E é aí que as coisas ficam rochosas. Não há equilíbrio – ninguém para dizer “Ei, eu sei que você está louco e você realmente não quer dizer isso.” Você é tão parecido.

Já o seu PARCEIRO DE VIDA , o que o atrai para o seu parceiro de vida é intriga – o fato de que eles não são totalmente como você. Suas falhas e seus pontos fortes se cancelam. E isso faz com que um relacionamento equilibrado e estável possa suportar até os momentos mais tumultuosos.

_ Hum!!!.. Entendi… e a terceira?

_ A Terceira tem a ver com a  INTUIÇÃO. Uma ALMA GÊMEA intuitivamente sabe quem você é. Como tal, a comunicação é muito fácil. Não há mal-entendidos ou algum desses confusos. Com um PARCEIRO DE VIDA, por outro lado, há um pouco mais de trabalho envolvido. Mas vale a pena. Quanto mais você aprender sobre o seu PARCEIRO DE VIDA, mais você deseja mergulhar fundo em sua mente – e aí, mais você o ama. Afinal, é o que uma boa parceria a longo prazo deve proporcionar: crescimento, aprendizagem e intriga.

_ Estou preparada para a quarta …

_ Bem a Quarta é que UMA ALMA gêmea muitas vezes está ligada a um evento importante em sua vida. ALMAS GEMEAS tendem a surgir quando algo grande acaba de acontecer em sua vida. Pode ser um novo trabalho incrível ou algo triste como a morte de um pai. Me lembro bem quais almas foram gêmeas da minha quando perdi o meu pai. Seja como for, essa pessoa permanece vinculada a esse evento em particular. Eles o ajudam a processá-lo, mas à medida que você se move, eles caem cada vez mais atrás de você. Vou caindo pelo chão e quando se erguem já erguem tomando outro rumo, porque já cumpriram o seu destino para aquele momento que foi o de ajudar você a se reestruturar. Cada pedaço seu que se reestrutura libera uma ALMA GEMEA para seguir o caminho dela.

Com um PARCEIRO DE VIDA, por outro lado a coisa é diferente… Como aquela pintura na parede em sua casa de infância, eles ganham novo significado e propósito em sua vida a cada dia que passa. Capítulo após o capítulo, eles continuam sendo seu companheiro leal – e você, o deles. Porque eles estão com você não como pintura na parede mas como tatuagem na sua pele…

_ Sabe, Marluci? … Você não tem ideia de como admiro essa forma que você tem de ver a vida.

_ Aprendi com minha PARCEIRA DE VIDA.

_ Quem?

_ Minha avó… Lucinda!

 
Deixe um comentário

Publicado por em 14 de junho de 2017 em MEUS ESCRITOS

 

Tags:

Barco de Papel


conselhos-de-vovo-lucindabarcoCheguei na casa dela e me mantive em silencio…
Percebi seu olhar interrogativo pra mim. Mas não falei nada, não sorri nem chorei, apenas permaneci calada.
Ela colocou um suco de laranja num copo na mesa e nada disse só olhou pra mim…
Eu olhei para o copo e não vi o suco. Minha alma adoecida não via o “cheio” só percebia “o vazio”
De repente percebi que ela sentou-se ao meu lado à mesa e ali colocou uma panela funda. A panela estava cheia de água…
Em silencio pegou uma folha do jornal O MOMENTO, onde meu avô tinha uma página que ele assinava, e começou a dobrar e dobrar…
Percebi a forma de um chapéu se formando…
Ela continuou dobrando e o chapéu se tornou um barquinho. Ela colocou o barquinho na panela cheia de água e ele ficou ali flutuando e nós duas olhando o barquinho de papel flutuando na panela.
De repente ela colocou a mão na água e começou de gota em gota transferir a água de fora para dentro do barco de papel e ele começou a afundar… E afundando…afundando foi sendo dissolvido pela água da panela.
Ela olhou para mim e quebrou o silencio.
__ Marluci, o barco não afunda por causa da água ao redor dele. O barco afunda por causa da água que quando entra nele, nós não tiramos e jogamos fora. Não deixe que o que está machucando seu coração afunde sua alegria…
Ah!!!! Vovó… Meu barco hoje tem tantos remendos …
Meu barco ainda flutua…
Obrigada Vovó Lucinda!

 

 
Deixe um comentário

Publicado por em 21 de janeiro de 2017 em MEUS ESCRITOS

 

Tags:


conselhos-de-vovo-lucinda

wp_20170114_15_18_46_prowp_20170114_15_16_18_pro

Ontem passando pela Avenida Afonso Pena algo chamou-me a atenção.

O cuidado! Sim, o cuidado que esta cidade tem com as crianças e com os idosos. “Nunca vi uma cidade com tantas vagas de estacionamento para idosos  como esta. Nunca vi uma cidade com sinalizações em escolas como esta. E o mais bonito de tudo … respeitados.” Não pude deixar de pensar assim quando vi essas imagens.

Resolvi parar o carro e fotografar a visão. Quantas vezes eu já passei por “esses cuidados” e nunca os percebi dessa forma?

Observei as pessoas nas calçadas, nos carros que cruzavam pela avenida passando como eu passava antes, “desapercebidas” e desconhecidamente.

Acho que nunca mais passarei da forma que passava antes por um jardim como esse.

Lembrei de minha avó Lucinda.

__ Marluci, se você quer conhecer uma pessoa olhe a casa dela. Preste atenção em tudo. Se ela deixa a casa suja e caindo aos pedaços ela não ama a família que tem. Se ela não tem verde, se não tem plantas é uma pessoa amarga, rude, sem raízes, muda sempre e quando muda leva consigo só o que plantou na vida , amargura, egoísmo, insatisfações. Se ela tem plantas e não cuida, não apara, não rega, e permita que o mato cresça é uma pessoa acomodada, que acha que tudo tem que ser resolvido por Deus e por outras pessoas; ela sempre se julga o centro das atenções e aparenta ser o que não é. Se tem o verde e cuida, mesmo pagando alguém pra cuidar pra ela, essa pessoa se ama, ama sua família, ama a vida, ama os amigos, tem esperança e é de Deus! Sim de Deus! Porque respeita a primeira criação divina a Natureza. Essa é uma pessoa que vale a pena você ter como amiga, porque ela vai te fazer o bem e vai te ensinar muita coisa boa na vida.

Pensei mais uma vez: Obrigada Campo Grande por me ensinar tanta coisa em tão pouco tempo.

 

 
Deixe um comentário

Publicado por em 15 de janeiro de 2017 em MEUS ESCRITOS

 

Tags:

Emoção e sentimento


 

conselhos-de-vovo-lucinda

Fui chegando sorrateira, ela estava como sempre , com o vestido de bolinhas brancas em um fundo preto ( já desbotado na altura do umbigo- cicatrizes do tanque de lavar roupas e da pia da cozinha) caminhando léguas entre a pia de granito vermelho e branco e o fogão de lenha que ficava no canto esquerdo, ao lado da porta da cozinha , quase embaixo da pequena janela que não ventilava em nada aquele minúsculo cômodo da casa:

-Vó – arrisquei.

– Fala Marluci.

– Qual é a pior emoção que uma pessoa pode sentir?

Ela parou de mexer a colher de pau no caldeirão de ferro (o cheiro inconfundível do feijão da vovó Lucinda). Olhou-me e sorriu.

Enxugou as mãos no pano de prato que trazia pendurado no ombro esquerdo e aproximou-se de mim.

– E sentir que você não é nada na vida de alguém que é tudo na vida pra você.

Foi até a geladeira e pegou uma garrafa de água vazia que eu tinha acabado de esvaziar, e como sempre guardava vazia, na geladeira porque eu sabia que alguém iria encher o que eu esvaziei…

Colocou a garrafa em minha frente.

– Pra que serve essa garrafa vazia pra quem tem sede?

-Pra nada… eu respondi (envergonhada—lá vinha uma lição)

-Pois é … a coisa funciona assim. As vezes nós somos a garrafa  para alguém, A garrafa que aguenta o frio e que é buscada com avidez por quem tem sede, mas só pelo o que a gente pode dar pra quem tem sede. Só a água gelada. Não é a nós que a pessoa quer , é o que podermos dar pra ela, e outra garrafa também pode fazer isso. Sem contar que depois de vazia nem pra matar a sede a gente serve… Quando a gente ama e não é amado por quem a gente ama é o sentimento de inutilidade, de desprezo, de desamor… essa é a pior coisa. Tem muita gente que pra não sentir isso fica mimando filho, marido, neta…(e riu…) Assim a gente tem a sensação de que nunca vai ser inútil…

Olhei pra ela com carinho. Mas calei o pensamento.

Em seguida argumentei:

– Vó , eu pensei que o ódio fosse a pior emoção que a gente podia sentir.

– Ódio não é emoção, Marluci. Ódio é sentimento. Emoção é o que o sentimento provoca na gente. O ódio provoca o medo em quem recebe ele e provoca amargura e frieza em quem sente ele. Entendeu?

( Como era sábia minha avó Lucinda)…

– Você quer que eu faço mate queimado pra você?

– Vó… (abracei ela pela cintura) Eu nunca vou gostar de você só porque você faz mate queimado pra mim…

Senti seu beijo em minha cabeça.

…..

Hoje penso: Vó, nunca ninguém fez mate queimado pra mim… Só você!

 

 
Deixe um comentário

Publicado por em 10 de janeiro de 2017 em MEUS ESCRITOS

 

Tags:

“Aguas calmas não fazem bons marinheiros.”


conselhos-de-vovo-lucinda

A paisagem não me era estranha… Já tinha visto aquele lugar, só não me lembro onde.Talvez no filme “A noviça rebelde”… Seria? Não sei!

Senti o cheiro de terra úmida. No meio do vale uma árvore.“Sombra”—pensei—Vou pra lá.

Estranho… Desci correndo a colina mas quanto mais eu descia, mais a árvore se afastava de mim…

De repente, sem mais nem menos, eu estava embaixo dela. Que surpresa adorável!!!! Sentada na raiz que aparecia no chão (de tão grande que era) estava minha avó Lucinda!

— Vó?!!!

— Senta aqui Marluci! – e me apontou a raiz que serpenteava pelo chão

Senti meu coração disparado. Arrepiei! Quis correr para abraça-la mas algo que desconheço me continha.

Caminhei lentamente e me sentei ao lado dela.

— Antes que você me pergunte…(e deu um sorriso) Não! Você não morreu! Você está dormindo!

Comecei a chorar! Queria falar mas não conseguia ouvir minha voz nem ordenar meus pensamentos.

— Lembre-se: nossos medos e nossos inimigos tem o tamanho e o valor que nós damos a eles. Você é capaz de superar isso tudo. Mais uma vez você está no leme do barco, e existe uma tempestade. Mas saiba que aguas calmas nunca fizeram bom marinheiro.

Ficou me olhando e com a minha mão em seu colo acariciava o dorso dela…

— Depois da enchente o rio sempre volta para o seu leito. Mantenha a calma. Espera. O sol tem hora pra nascer.

–Mas vó…- Tentei argumentar.

— Não tem mas, nem meio-mas.  Eu sei que tem coisas que acontecem  sem que a gente esteja preparado, Eu sei que a chuva não pede pra cair, mas ela avisa que vai cair se vai ser mansa ou se vai ser avassaladora. Você percebeu a tempestade, por que não se preparou?

— Mas eu me preparei vó! Eu percebi o vento das arvores, o céu escurecendo, as nuvens pesadas. Percebi que os pássaros não cantavam que parece que se escondiam amedrontados… Aos poucos fui arrumando tudo, uma coisa de cada vez! Busquei ajuda espiritual. Apelei para Apometria. Fiz curso de Reiki. Chamei a família inteira pra ir se preparando junto comigo. Eu sentia o que ia acontecer. Só não achei que seria assim.

— Marluci, olha pra mim!

(olhei)… Ah aqueles olhos calmos…

— Essa historia de que os opostos se atraem é besteira de cientista. Os oposto se repelem. Amor e ódio não comem no mesmo prato, não dormem na mesma cama, não dividem o mesmo teto. Amor que vira ódio, nunca foi amor. Se fantasiou de amor, só isso!

Levantou ( e eu pude ver a ferida que ela tinha na perna cicatrizada)

— Ainda doi vó? – Perguntei.

— Cicatrizes doem… Ela respondeu.

E completou.

Pegue o leme. Não conduza o barco para alto mar. Procure terra firme. Eu estarei com você.

Percebi o som de mensagem no celular que estava ao lado da cabeceira de minha cama…

Acordei! Meus olhos olham o quarto, a casa, o dia…A chuva ameaça la fora…

Meu barco me espera!

 

 
Deixe um comentário

Publicado por em 3 de janeiro de 2017 em MEUS ESCRITOS

 

Tags:

BORRA DE CAFÉ


conselhos-de-vovo-lucinda

Estou num daqueles dias em que a saudade de minha avó Lucinda fala alto em meu coração.

__ Vó!

__ Fala Marluci.

__ Você acha que eu falo demais?

__ Às vezes fala sim.

__ Isso é ruim?

__ Mais para quem fala do que para quem ouve!

__ Não entendo!!!

Ela sentou-se a meu lado ainda enxugando as mãos no avental surrado que cobria o vestido mais surrado que o avental.

__ Eu sei que para você , que é do signo de peixes , é difícil segurar a boa. Todo pisciano morre pela boca, se não for de comer de mais ou de menos, será de beber de mais ou de menos ou se falar de mais ou de menos…

Olhei pra ela com um enorme ponto de interrogação na minha testa…

__Mas lembre-se que até o peixe se livraria de um grande problema se mantiver a boca fechada.

__ Vó porque você fala assim desse jeito.

__ Citando exemplos?

__ Sim, com essas frases que fazem a gente ficar pensando…

Ela riu…

__ Porque se a palavra dita não provocar uma reflexão, então é palavra vazia.

HUM… Fala mais então vó.

__ Sobre o fato de você falar demais?

__ É

__ Boca fechada não entra mosca…

__Eca vó!!!!

Novo riso…

__ Ninguém estraga aquilo que não sabe…

__ Ala Pinta!!!!! Essa é boa vó!!!! __ E aplaudi!

Um carinho em meus cabelos e ela prosseguiu:

__ Pois então lembre-se dessa frase sempre. Não anuncie aquilo que esta por acontecer, principalmente se isso for lhe trazer benefícios. Nem sempre os “ouvintes”  vibram positivamente com as conquistas gloriosas que fazemos. O ser humano é  como um coador de café.

__ Como assim vó?

__ Só interessa a água quente, o aroma , a cor e o sabor se passarem pelo seu filtro. A borra ele costuma separar… mas é na borra que está o adubo das ações , a historia do aroma, do sabor e da cor do café. Tente beber um café depois de frio… quando já tiver passado o calor da água fervendo…. Ele perde o cheiro, a cor fica opaca, o sabor fica amargo, por mais que você coloque açúcar nele. Assim são as pessoas. Elas falam e acontecem só no calor das emoções. E nem sempre as emoções que provocamos em nossos “ouvintes” são boas….

__ HUUUUUMMM!!!! Entendi…..

Mas eu não tinha entendido…. Menti pra minha avó. E eu sei que ela sabia que eu tinha mentido…

Hoje estou aqui…. diante do teclado de meu notebook olhando para o pó de café… com a água fervente  ao meu lado… e pensando na borra do café que tenho na ponta da língua…

Hoje eu entendi Vó…. Hoje de verdade , eu entendi….

E me calo!!!

Ainda não é hora do café.

Ainda tem cafezal com grãos verdes!!! Ainda tem café no pé ! !!

Ainda não esta na hora da colheita!!!!!!

 

 

 
Deixe um comentário

Publicado por em 19 de novembro de 2016 em MEUS ESCRITOS

 

Tags: ,

Na sala de aula ou na vida


conselhos-de-vovo-lucinda

(1.970)

_ O que foi Marluci?
_ To sem saber o que fazer, vó.
… Silencio…
_ Tem uma menina na minha sala que vive competindo comigo, sempre que a professora Marilea marca um trabalho ela que quer escrever.
_ E ela escreve bem?
_ Sim escreve, mas eu escrevo bem tambem, vó. Meus colegas gostam mais das peças que eu escrevo.
_ Bom minha neta, Na sala de aula ou na sua vida, quando você tem um concorrente, um opositor, você tem que observar ele. Se ele for inferior a você, ignore-o; se ele for superior a você, espelhe-se nele; se ele for igual a você, alie-se a ele.
_ Não entendi vó…
_ Um dia você vai entender…

(2.016) ____Obs: Entendi vó! Obrigada.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 18 de maio de 2016 em MEUS ESCRITOS

 

Tags:

 
%d blogueiros gostam disto: