RSS

Arquivo da tag: OPINIÃO PESSOAL

Porque é opinião e é pessoal.

Carta Aberta para Corumbá


Corumbá destes meus sonhos e foram tantos que perdi as contas…. Foram sonhos de infância, sonhos de adolescência sonhos de juventude… Sonhos bons, carregados de esperança de credibilidade que nem percebi o momento em que foram deixando de ser bons e amargando o que já foi doce…

Incrível como as coisas mudam. Como a vida da gente muda. Muda tanto que a gente se sente perdida no meio de tanta mudança. Sei que pode parecer desrespeito e até desamor, mas não é, viu Corumbá? Não é! É um vazio que incomoda que me subtrai o sentir que eu deveria sentir e dos meus primeiros dias sinto apenas a saudade com sabor da infância…

Não vou negar: ainda sinto o calor, como raio de saudade, dentro do meu coração. Uma saudade que percorre suas ruas em desfiles no dia 21 de setembro na fanfarra do GENIC. Ainda ouço o tarol, o surdo, o fuzileiro, os pratos, os triângulos, as escaletas… ainda me vejo descendo a Frei Mariano e ganhando a Avenida General Rondon…

Sabe Corumbá? Eu tenho na minha memória emocional os teus dias tão risonhos e isso para mim tem para mim tanta alegria que posso te garantir que percebo que até a lua com fulgor, parece não ter vontade de deixar este torrão. Parece, Corumbá! Eu disse, PARECE.

Vou te confessar que eu relutei para te deixar…. Foram anos, Corumbá! Foram ANOS pensando, analisando, ponderando…. Eu tive medo! Medo de não suportar a falta que você me faria…. Hoje não tenho mais esse medo porque a Corumbá que me faz falta é a que brincou de boneca comigo, é a que desfilou com a minha escola nas datas comemorativas, é a que sentou-se ao meu lado nos bancos escolares, é a que brincou carnaval nos salões do Riachuelo e do Corumbaense…

Sabe? Houve um tempo em que eu cantei emocionada, arrepiada mesmo o refrão: Corumbá, eu quero ter / Sob o teu céu tão brilhante / Feliz viver… E como eu gostava de cantar esse refrão…. Você não imagina o quanto…

Hoje peguei suas fotos, você sabe…. É seu aniversário… E sabe o que eu vejo Corumbá? Eu vejo encantos primorosos nas tuas verdes colinas, em tuas águas tão serenas, no teu céu onde o cruzeiro cintilante sempre está: em teus prados tão mimosos marchetados de boninas, em tuas noites tão amenas em teu luar tão fagueiro tens encantos Corumbá! Sim! Tens encantos. O momento captado e eternizado na foto me diz e me prova isso. TENS ENCANTOS! E não são poucos…

Eu poderia citar o maior deles, o que está em quando teus horizontes a frouxa luz do poente se matizam de mil cores…. Ah!!! De saudade fica presa nossa alma juvenil…. Entra ano, sai ano e o seu pôr-do-sol continua sendo o mais lindo que já vi.

És linda sim… E passando suas fotos por entre meus dedos percebo que rendilhada de altos montes, tendo aos pés águas silentes, bela terra dos amores: Corumbá, és a princesa do ocidente do Brasil!

Ah! Corumbá…. Eu já quis ter sob seu teu céu brilhante, feliz viver… Já quis sim e quis muito… E quis tanto… Quis de verdade…

Sabe um filme antigo que te emocionou? Tipo Romeu e Julieta … Em Branco e Preto? …. Pois é… É assim…. Me emociona lembrar do passado…. Tenho saudades do passado…

O passado em que teus filhos eram mimados, cuidados, respeitados… Eram reconhecidos. Eram apresentados ao mundo com orgulho!!! Onde seus filhos não eram “prata-da-casa” eram ouro. Eles cuidavam de você, eles estavam juntos do chefe da família corumbaense e eram ouvidos, eram consultados, eram vez eram voto, tinham voz.

Saudades em que a política era tratada com delicadeza, “receba as flores que lhe dou. E em cada flor um beijo meu”… e nem por isso deixava-se de fazer denúncias ou se aceitava submissamente os desmandes e as maracutaias…

O passado em que eu era Marluci, filha de “seu Betinho” e de professora Hena, neta de Castro Brasil… Hoje eu sou.… quem sou eu mesmo?… Ah sim…. Sou Marluci Brasil… Mas só depois do BUM das redes sociais onde despencaram “amigos” que me tratavam com a indiferença dos desconhecidos quando cruzavam comigo nas ruas e que hoje me tratam (virtualmente) como se fossemos melhores amigos de infância…

Não sou hipócrita! Não sou não viu Corumbá? Eu sei que suas ruas não têm culpa. Eu sei que seu casario, suas praças, suas palmeiras, seu rio, seu pantanal, seus sabores, sua música, sua poesia não tem culpa…, mas de você contextualizada no agora, não tenho saudade não. Tenho saudades de você de outrora…. Do anterior aos versos de Osório de Barros:

“ Corumbá os teus anseios

Vi longe de teus trilhos

Terra mãe dos forasteiros

Madrasta dos próprios filhos”

 

Eu oro por você viu Corumbá? Pelo seu chão, pelos seus filhos (os agarrados e os desgarrados).

Espero que você progrida “pero sem perder a ternura”…

Parabéns!!

 

 

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 21 de setembro de 2017 em MEUS ESCRITOS

 

Tags: , ,

Pensando 2016 e 2017


download

Em meus estudos acerca do mundo paralelo que tanto influencia o nosso mundo atual, deparei com a certeza que estamos em um momento crucial na jornada da humanidade, o cenário de nossa realidade pessoal e global está mudando e parece que para sempre.

O que me fez pensar assim? Foi o ano 2016 (2+0+1+6) a numerologia nos mostra que é um Ano Universal 9. O número 9 representa as frequências da conclusão, da reflexão e do serviço.

 

Pensando minha historia de vida, vi que de 9 em 9 anos sempre termina uma fase e começa outra… É provável que você tenha notado estes temas (especialmente os términos e conclusões) apresentando-se neste ano, no mundo exterior e em sua própria vida também.
A numerologia nos mostra também que com ciclos de conclusões e términos Universais, somos sempre solicitados a enfrentar e a resolver todos os negócios inacabados em quaisquer áreas de nossas vidas que precisem de atenção.Estas incluem as áreas da saúde, dos relacionamentos e padrões de comportamento, incluindo como nos tratamos.

 

Vejamos o que nos diz a ciência holística dos números:
“Os últimos meses de um Ano Universal 9 é, com frequência, o mais intenso, porque estamos sendo cutucados a terminar rapidamente tudo o que precisa ser concluído a partir dos últimos 9 anos, antes que um novo ano de 9 anos se inicie.
Durante um Ano Universal 9, percebemos, muitas vezes, alguma estagnação quando se trata de aceitar a mudança – alguma hesitação sobre começar um novo projeto, trabalho ou relacionamento, ou a mudança para um novo local.
Se isto estiver acontecendo em sua vida, saiba que está acontecendo também em todo o planeta. E que nos está sendo dado o espaço para terminarmos com o velho, antes de começarmos o novo.
2016 foi um ano intensamente cármico, em que estivemos experienciando o Karma das ações que assumimos nos últimos 9 anos.
Pense novamente no que estava ocorrendo em sua vida em 2007, e você poderá notar alguns temas semelhantes que estão surgindo em sua vida agora. Alguns destes temas podem ser maravilhosos, e alguns, talvez… nem tanto.
Isto não é uma coincidência. Isto é uma clara informação que indica quais energias, padrões e situações externas você precisa abordar agora.
Pense novamente em 2008. Você começou um novo trabalho ou projeto? Será que mudou para algum lugar novo, ou começou um novo relacionamento naquele ano?
Pode se lembrar do tom de sua mente naquele ano? Você pode ter decidido interiormente que: “As coisas começarão a mudar para mim agora, de maneira realmente positiva!”
Isto foi porque 2008 foi um ano “1”, e isto definiu o tom para o ciclo de 9 anos que estamos terminando agora.
Se as coisas não estão parecendo tão maravilhosas para você agora, você pode vê-las simplesmente como uma oportunidade para que você aprenda algumas lições que você se determinou a aprender há muito tempo, em um nível mais elevado. Está lhe sendo dada a oportunidade de deixar ir e seguir em frente agora, de modo que você não mais precise repetir estas lições.
Se tudo estiver parecendo maravilhoso para você agora, significa que ao longo dos últimos 9 anos, você, intencionalmente, estabeleceu um curso positivo para a sua vida, que está sendo refletido para você, de maneira milagrosa.
Os próximos dois meses são muito importantes, porque eles nos estão dando a oportunidade de concluirmos completa e definitivamente, com tudo o que estivermos prontos para superar.
Será cada vez mais difícil operar em uma consciência de vítima agora, porque estamos sendo chamados à ação – para terminarmos os desafios que começamos há muito tempo.
UM TEMPO DE SERVIÇO
Um Ano Universal 9 é também um ano de serviço.
Todos nós sabemos como é quando a nossa mente fica muito presa em si mesma. Podemos também nos referir a isto como estarmos também “auto-envolvidos”.

 

Estar excessivamente auto-envolvido é um indicador de que a mente está operando no modo de sobrevivência, na medida em que é incapaz de ver totalmente a grande cena na vida.
Não precisamos julgar o envolvimento próprio como bom ou ruim. Mas é importante compreender que se permanecermos neste espaço por longos períodos de tempo, isto deixará as nossas energias limitadas e estagnadas, em vez de nos sentirmos expansivos e no fluxo da vida.
Adicionar mais atos de serviço abnegado as nossas vidas ajuda a sanar as nossas limitações e a estagnação. Este tipo de doação pode abrir especialmente as áreas da saúde, da riqueza e da felicidade em geral.
O serviço aos outros é também uma das coisas mais eficazes que podemos fazer para equilibrarmos e resolvermos dívidas cármicas antigas.
Se você estiver experienciando quaisquer dívidas cármicas em sua vida, como nas áreas da saúde, riqueza financeira e satisfação interior, este seria o momento perfeito para você mergulhar na energia do serviço aos outros.
Sempre que você oferecer algum tipo de serviço útil aos outros, as energias mais elevadas do Amor e da Compaixão fluirão poderosamente através de você. E ao longo dos próximos dois meses, estas energias serão ampliadas muitas vezes, por causa do momento intensamente poderoso de conclusão em que estamos agora.
PREPARANDO-SE PARA UM CICLO DE 9 ANOS INTEIRAMENTE NOVO
Você pode estar experienciando determinadas formas de estagnação em sua vida, especialmente em áreas tais como novos relacionamentos, empreendimentos criativos ou a mudança para uma nova casa.
Se você puder começar a fazer o trabalho interior de cura necessário para resolver quaisquer antigos bloqueios, dores ou rancores que possa ter, enquanto está no serviço aos outros, de alguma forma, as coisas começarão a mudar poderosamente para você, à medida que entramos em 2017.
Isto é porque este novo ano estará nos oferecendo algo milagroso:
Ele nos dará a oportunidade de nos tornarmos a pessoa que, no íntimo, sempre nos conhecemos ser.
Agora é o momento de responder a algumas perguntas poderosas, tais como:
O que você mais gostaria de criar em sua vida?
Que comportamentos você está pronto para liberar?
Como você se tratará depois de ter se comprometido com mais amor próprio?
Como você tratará os outros, e irá lhes permitir tratá-lo, uma vez que tenha se comprometido em oferecer mais apoio a eles e a si mesmo?
Quais são algumas coisas adicionais que você pode acrescentar a sua programação diária ou semanal, não importa o quanto possam ser insignificantes, que promovam mais amor, felicidade, liberdade, equilíbrio, plenitude, gratidão, admiração, bondade, milagres e prosperidade em sua vida e no mundo?
Podemos começar a fazer e a responder agora a estas perguntas, em preparação a criar a nossa vida mais feliz e mais gratificante, à medida que entramos em um novo ciclo de 9 anos em 2017!
Este é o momento de abrir mão do apego firme que tivemos às coisas a que estivemos ligados por tanto tempo, e que não mais estão nos servindo ou àqueles ao nosso redor.
Este é o momento de deixar ir e simplesmente deixar-nos ser.
Irá nos servir bem fazer isto. E será muito mais fácil fazer isto agora, em vez de entrarmos no novo ciclo de 9 anos, apegados ainda firmemente ao que pertence ao passado.
Se você estiver lendo esta previsão da energia, então esta é a confirmação que você precisa: saber que está disposto agora a abrir mão de todas as ligações remanescentes que não estão mais alinhadas com o seu bem maior.
Conforte-se em saber disto e confie que você está exatamente onde deveria estar em sua jornada sagrada.”

 

OBS: Eu vou fazer um feedback r você?

 

 
Deixe um comentário

Publicado por em 4 de novembro de 2016 em MEUS ESCRITOS, MEUS PENSAMENTOS

 

Tags: ,

Esclarecendo os pontos…


sem-titulo

_ Toca o telefone, eu atendo. Uma amiga, querendo saber de mim. Oferecendo seu ombro para o meu coração que “deve estar partido, dividido”.

_ Não querida… Meu coração não está dividido nem está partido. Está inteiro e em paz. Quem tiver capacidade para entender que entenda, quem não tiver , que respeite… Já está de bom tamanho. Não estou dizendo que a situação não foi delicada. Foi sim, mas já passou. E tudo se definiu do jeito que tinha que ser. Do jeito que o destino escreveu. Do jeito que Deus determinou que fosse.

Eu não tomei partido porque não quis me apartar nem de um nem de outro. Pra mim eles não são representados por números nem por siglas. Mas sim pelo papel que desempenharam e desempenham na história de minha vida.

Sim. Eles, os dois, me ajudaram quando precisei. E não estou falando de cargos nem de valores, mesmo porque eu também os ajudei, e nada foi de graça, nem pra mim, nem pra eles.

Ruiter é um ser humano maravilhoso, que me ensinou muito. Especialmente porque me ensinou a transformar antipatia em simpatia, indiferença em fraternidade, desamor em amor e me fez fazer uma releitura do que seja uma amizade sincera, profunda, inquestionável, incontestável, coesa e inabalável.

Ruiter (no meio de um momento turbulento em minha vida) surgiu do nada… Caiu de paraquedas… Quando eu estendia a mão buscando o apoio de outras mãos… Quando meus dedos tentavam se ancorar em outros dedos para juntar as palmas e unir as forças… Ruiter surgiu me abraçando por trás, me erguendo pelas axilas, sustentando meu peso sob meus joelhos doloridos, secando o suor em minha fronte, colocando água em minha boca sedenta, e sem me pedir absolutamente nada em troca olhou nos meus olhos de uma maneira profunda, me sorriu e PENSOU… apenas PENSOU: “EU ESTOU AQUI”. E desde então nunca mais saiu dali.

Onde quer que eu estivesse passando o que eu estivesse passando… bastava uma linha, um telefonema e eu sabia que poderia encontrar um parecer amigo, um abraço, um olhar, um sorriso, um conforto.

A forma como Ruiter me respeita, a forma como ele me quer bem e como ele se porta me ensina a perdoar, me ensina a filtrar, me ensina a pensar que se um dia eu puder reencarnar, quero tê-lo em meu seio familiar. Eu agradeço TODOS OS DIAS por ter RECONHECIDO o Ruiter ainda nesta encarnação.

Eu agradeço TODOS OS DIAS, pela vida de sua família, pelos seus amigos, pela sua saúde, pelo seu sorriso. Nunca vou me cansar de lhe dizer que ele pode contar comigo nesta e nas próximas “trocentas” reencarnações. Eu vou estar incansavelmente ao seu lado, lhe abraçando por trás, lhe levantando, enxugando o suor de sua testa, olhando nos seus olhos e pensando. EU ESTOU AQUI. Reafirmando que eu o amo mais do que eu possa me manifestar.

Paulo foi chegando devagar, não foi uma surpresa. Ele na verdade, chegou acompanhado do Ruiter e seu sorriso, sua forma de defender suas posições foram conquistando minha admiração. Me estendeu a mão, parou para me ouvir. Pediu o meu parecer e ai me mostrou que eu tinha uma importância na vida dele que eu não sabia que tinha.

Paulinho ( como eu costumo chama-lo ) não me pegou de susto. Tudo entre nós foi sendo construído no dia a dia, aos poucos, mas de forma firme, coesa.

Tenho por ele um carinho quase maternal. Eu o quero bem de verdade. Independente do que aconteceu ou deixou de acontecer em nossa história. Eu o quero muito bem. Não concebo meu olhar para ele que não seja seguido de um sorriso na alma e um carinho no coração. Ele me faz bem. O que sinto por ele me faz bem!

Os dois escolheram a politica para a realização de seus planos de vida. Eu não… Então por que tenho que sentir-me dividida? Com o coração partido.

Estou inteira e leve. Sei o que sinto pelos dois. Não parei e nem vou parar para pensar qual dos dois tem maior significado para mim. Porque dentro de minha perspectiva de amizade os dois tem a importância que devem e merecem ter.

( texto de Marluci Brasil)

 
Deixe um comentário

Publicado por em 5 de outubro de 2016 em MEUS ESCRITOS

 

Tags: , ,

Ódio político X idolatria lulista


Sem títuloODIO E IDOLATRIA

Já estive envolvida com a política por diversas vezes.
Fui candidata a vereadora por três vezes em minha cidade, e quando ‘”percebi” como a política REALMENTE acontecia em nosso país optei por ficar no décimo escalão da política.
Só para esclarecer como eu faço o “escalonamento político brasileiro” relato para quem me lê que para mim existe patamares na política;
1ºescalção: candidato eleito
2º escalão: Assessores diretos, Ministros e Secretários, Dirigentes do Partido
3º escalão: Coordenadores de Campanha do político eleito e Financiadores de campanha do político eleito
4º escalão: Responsáveis pela parte financeira da instituição sob responsabilidade do político eleito
5º escalão: Amigos particulares do político eleito
6º escalão: Parentes do político eleito que são beneficiados por outro político eleito, que por sua vez tem os seus parentes beneficiados pelo político eleito (uma troca de favores para não configurar nepotismo)
7º escalão: candidatos não eleitos do partido do candidato eleito (a famosa escadinha política)
8º escalão: militantes do partido do candidato eleito
9º escalão: imprensa (é melhor tê-la como aliada)
10º escalão: Eleitor consciente (aquele que não vendeu seu voto, e que ajuda a administração dando ideias)
Isso porque sempre fui consciente do voto que dei para os candidatos em quem votei.
Não vou negar que alguns me decepcionaram e que por mais de 15 vezes eu me arrependi amargamente do voto de confiança que dei, mas quem nunca errou tentando acertar? Por isso estou sempre tranquila em minha opção de voto.
Diante do cenário político que nosso país está vivendo optei por não manifestar minha opinião pessoal por entender que não estamos vivendo uma crise política. Estamos vivendo uma CRISE EXISTENCIAL.
O que vejo não é este partido contra aquele partido. O que vejo é o ódio político contra a idolatria lulista.
Não vejo eleitor consciente o suficiente para enxergar os pontos negativos do governo atual sem que isso o impeça de admitir que tiveram sim pontos positivos. O que vejo é o estigma da frase: SE É PT, NÃO PRESTA. É LADRÃO. E eu não penso assim.
Não vejo militante consciente o suficiente para receber as críticas recebidas ao seu partido sem que isso gere crises de idolatria em relação ao “garoto propaganda” do partido que ele diz amar em função da idolatria que tem pelo “eterno” líder do partido.
O que tenho visto são seres humanos, se agredindo, destruindo patrimônio público, pancadaria, extrapolação, a medida se perdendo o bom senso se dissipando. O que vejo é histeria. E dos dois lados da moeda.
De um lado vejo uma chamada a depoimento sendo comemorado como se fosse uma final de campeonato vencido por uma diferença de 13 gols ainda já nos últimos minutos do segundo tempo.
Do outro lado vejo a defesa de um nome, de uma pessoa com uma dose de fanatismo que beira a loucura…
Não… não acredito que estamos preparados para a democracia… E permaneço no 10º escalão agora mais em paz comigo mesmo, quando já não sou obrigada a dar o meu voto a quem quer que seja.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 4 de março de 2016 em MEUS ESCRITOS

 

Tags: ,

VAMOS CUIDAR DA PROPRIA VIDA?


sem pressao ok

Eu sei que a ANTROPOLOGIA é a ciência que estuda as relações do homem com suas origens, mas como eu sempre “me permito” mudar o conceito das coisas vendo-as sob o prisma de minha maneira própria de ver e sentir, resolvi que para mim ANTROPOLOGIA significa estar interessado (sem julgamentos prévios) na maneira como as pessoas escolhem viver e/ou se comportar.
Esse “decidir” permitiu-me desenvolver a COMPAIXÃO e ficou mais fácil ser mais TOLERANTE.
É muito mais humano interessar-me pelas pessoas sem julga-las do que julga-las de acordo com o meu interesse… Por que? Ora… Porque entendo que toda vez que alguém reage de maneira diferente da minha isso me aborrece e não sou hipócrita de não admitir essa parte egocêntrica de meu ser. Acho que no funcho, no fundo todos pensam e sentem desse jeito.
Quem nunca se pegou pensando ou dizendo aquela famosa e popular frase:
___ Não acredito que ele ou ela agiu desta forma?!!!
Quando mudei a minha forma de ver a ANTROPOLOGIA, compreendi que eu não preciso “acreditar”, o que eu preciso é entender e depois que entendo… nem “aceitar” eu preciso.
Quem tem que aceitar é quem é atingido pela ação.
Por exemplo, raciocina comigo:
__ Em que vai me atingir se fulano ou ciclano é homossexual? Eu sou hétero. O fato dele ou dela ser homo vai mudar minha forma de ser e agir? Então??????
Acredito que existe uma linha sutil entre o “estar interessado” e o “ser arrogante”.
É mais ou menos como se a SUA maneira de ver o mundo fosse a correta… A melhor…
Então não me sinto como a pessoa mais indicada para julgar ninguém.
Definitivamente? Acredito que uma das regras fundamentais para se viver em plena felicidade com os outros é reconhecer que julgar outras pessoas faz com que a gente desprenda muita energia e isso nos afasta de onde deveria estar a nossa atenção: EM NOSSAS PROPRIAS AÇÕES.
Vamos cuidar da própria vida?

 
Deixe um comentário

Publicado por em 24 de janeiro de 2016 em MEUS ESCRITOS

 

Tags: ,


c920e4609ab921b255868dcbe5333fbd

A vida me ensinou a nunca navegar contra e sim à favor do vento…
Mesmo em tempos chuvosos, com velas molhadas que nem sempre me levam onde eu gostaria de ir, mas se vou… vou inteira. Nunca vou pela metade.
Isso porque quando VOU de verdade, costumo esquecer o CAMINHO DE VOLTA.
Se tem um verbo que não gosto de conjugar é o verbo RECOMEÇAR..
Talvez seja pelo o que ele significa.
Começar de novo pra mim é uma faca de dois gumes…
Prefiro COMEÇAR O NOVO.

( TEXTO DE MARLUCI BRASIL)

 
Deixe um comentário

Publicado por em 22 de janeiro de 2016 em MEUS ESCRITOS

 

Tags:

Tempo de amadurecer…


tumblr_nvs1ntGOkg1qif1wro1_500

Passar a vida em “verde” ou “de-vez” pode ser mais facil mas com certeza nunca será mais saboroso.
A maturidade nos reserva o que de melhor podemos dar para as pessoas.
As pessoas que nos cercam quando tratadas de forma “madura” tornam-se mais acessíveis, mais humanas…
Eu “espero” o tempo das pessoas… O problema é que as vezes o Tempo de amadurecer passa… e a colheita perde o sentido.

(Marluci Brasil)

#respeiteoddireitosautorais

 
Deixe um comentário

Publicado por em 19 de dezembro de 2015 em MEUS ESCRITOS, MEUS PENSAMENTOS

 

Tags:

 
%d blogueiros gostam disto: